Notícias e Informações
Voltar \ O COVID-19 mudou a Mediação Imobiliária?

O COVID-19 mudou a Mediação Imobiliária?

23 mar 2020
O COVID-19 mudou a Mediação Imobiliária?
Infelizmente o inimaginável aconteceu, este vírus propagou-se por todo o mundo sem olhar a economias, fronteiras, políticas e principalmente pessoas.

Várias são as indicações da OMS e de cada país afetado, não vou falar sobre este tema, apenas apelo, fiquem em casa, protejam-se e principalmente, protejam os outros.

Como especialista na atividade de mediação imobiliária a minha vontade de contributo é grande para este momento que necessita de foco, capacidade de reação e ação, há que ter esperança e confiança na resiliência dos profissionais do Mercado Imobiliário e na sua capacidade de adaptação porque o mundo mais uma vez obriga-nos a mudar e o desafio é não parar.

Como é que um Agente Imobiliário pode continuar a exercer a sua profissão?

Baseado num excelente documento feito em conjunto pela Graça Caprichoso da RE/MAX Spazio, pela Sónia Godinho da RE/MAX Golden Line, e baseado em ideias  contidas num documento feito pela RE/MAX Espanha, as duas reagiram de forma rápida e partilharam com todos os agentes e profissionais da Mediação, várias medidas de prevenção e ajuda para todas as pessoas que transacionam ou lidam com o negócio imobiliário como agentes, proprietários, potenciais compradores e arrendatários, transcrevo um resumo das suas várias indicações em como trabalhar desde casa, mesmo numa atividade baseada em contacto com pessoas na rua:

Como deve fazer o contacto com clientes?

Pode iniciar a abordagem com uma breve explicação sobre o vírus e a doença, bem como medidas básicas de prevenção como lavar e desinfetar as mãos, manter a distância com outras pessoas, evitar o contacto e por fim a sensibilização para permanecer em casa

O Agente deve perguntar sempre se viajaram recentemente para os países onde o vírus se propagou. Pode e deve recursar visitas com clientes que viajaram recentemente para estes países ou especialmente, que apresentem sintomas.

Também deve recusar a partilha de automóveis na deslocação às visitas, se isso acontecer deverá desinfetar as mãos, pedir ao cliente que o faça e deve também desinfetar as partes metálicas (puxadores, cintos, entre outras) usando gel desinfetante ou álcool, se possível, ambos devem usar máscara e no limite luvas de latéx.

Como deve manter a sua atividade?

Se excecionalmente e nesta fase elaborar uma visita a um imóvel, certifique-se que está devoluto. Nesta fase não deve promover visitas presenciais, pode utilizar vídeo ou chamadas neste formato. Não realize visitas com aglomerados de pessoas, as Open Houses em Itália já estão proibidas.

Com as novas tecnologias disponíveis hoje e face à forçada necessidade de mudança de hábitos, nesta fase pode:

  • * Promover reuniões virtuais através de: Skype; Zoom; Whatsapp ou outras aplicações;
  • * Rever os contratos de mediação imobiliária com os seus clientes avaliando o canal que preferem para comunicar;
  • * Continuar a fazer chamadas de acompanhamento (avaliar a forma preferencial de contato de cada cliente), tanto para compradores como para vendedores;
  • * “Arrumar a casa”, atualizar dados, anúncios dos imóveis;
  • * Produzir vídeos ou fazer visitas virtuais 360º para que as pessoas possam ver os imóveis sem sair de casa;
  • * Melhorar a qualidade das fotografias e apresentação dos imóveis;
  • * Repensar o seu plano de marketing e principalmente a sua estratégia de comunicação que nesta fase deve incidir fortemente nas relações, recomendações e no on-line;
  • * Avaliar criteriosamente as informações e tendências de mercado cruzando com várias fontes fidedignas nacionais e internacionais;

Será que ainda se podem fazer vendas?

É difícil vender sem visitas, mesmo para investidores. Nesta fase como disse as visitas requerem muitas precauções, por isso devem ser evitadas a todo o custo e apenas em casos extremos se poderão realizar.

A venda poderá realizar-se utilizando as novas tecnologias disponíveis hoje, por exemplo, a oferta/sinal pode ser realizada via email com assinatura digital utilizando apps como a Firmafy.

Se tiver de utilizar o escritório, a evitar nesta fase, faça-o sempre com o mínimo de pessoas envolvidas e com as precauções referidas anteriormente, bem como a distância social.

Se a venda necessitar de crédito bancário, o processo poderá ser moroso, por isso será importante que os clientes vendedores e compradores tomem consciência com a ajuda do Agente. A digitalização dos documentos facilita este processo, mas a avaliação do imóvel irá sempre depender da visita do avaliador, por isso, o imóvel terá de ser sempre visitado recorrendo às mesmas precauções.

A escritura é um ato presencial, antes de se marcar será importante falar com o notário para verificar se ele e todas as pessoas tomarão as devidas precauções para o referido ato público.

Em Itália, país onde eu opero regularmente estas medidas já estão a ser postas em prática há mais de 20 dias, a atividade continua a um ritmo bastante mais lento, aproveitando, contudo, a tecnologia e o potencial de virtualização de processos e procedimentos para não parar.

Para finalizar, é importante referir que as reuniões de equipa, as formações e treino poderão continuar também de forma virtual e já hoje existem várias opções para trabalhar no mesmo, de forma diferente.

Na expectativa que o próximo artigo seja já escrito dentro de uma nova normalidade para a minha atividade, relembro a todos que apesar da situação e das novas oportunidades e formas de trabalhar, este negócio continuará a ser de pessoas para pessoas!





Fonte: site Visão - https://visao.sapo.pt/opiniao/bolsa-de-especialistas/2020-03-16-o-covid-19-mudou-a-medicao-imobiliaria/?fbclid=IwAR0JtdxoI428-RfQmpYM1X3Tln4QUPvo0snpIkZHNpY7Us633mXY1JTYtxk

Veja Também