Notícias e Informações
Voltar \ Guerra de spreads nos empréstimos da casa: BCP corta margem mínima para 1%

Guerra de spreads nos empréstimos da casa: BCP corta margem mínima para 1%

07 mar 2020
Guerra de spreads nos empréstimos da casa: BCP corta margem mínima para 1%
O banco liderado por Miguel Maya passa a partilhar a taxa mais atrativa de mercado com o Bankinter.

A guerra de spreads marcou o arranque do ano, com o Eurobic a atualizar o preçário dos empréstimos para a compra de casa logo em janeiro, com uma revisão em baixa de 1,2% para 1,1%. Agora foi a vez do BCP entrar na corrida para tentar angariar mais clientes de crédito à habitação. O banco liderado por Miguel Maya cortou a margem mínima para 1%, e passa a partilhar a taxa mais atrativa de mercado com o Bankinter.

 

O BCP deixou para trás o EuroBic e o Banco CTT, com que partilhava até agora a margem mínima de 1,1%, demarcando-se dos principais concorrentes, nomeadamente do BPI, Santander, CGD e Novo Banco. O Montepio está nos 1,175%.

BPI, Santander Totta e Crédito Agrícola estão no meio da tabela, oferecendo um spread de 1,2%. Segue-se a CGD, que cobra uma taxa de 1,23% e, depois, o Novo Banco, que continua a ser a instituição financeira com a taxa mais elevada, de 1,25%.

Num contexto de taxas de juro historicamente baixas, mesmo negativas, a banca continua a ter incentivos a conceder crédito, nomeadamente para a compra de casa, apesar dos recorrentes alertas de risco para o sistema financeiro, por parte dos reguladores.

Prova disso mesmo é que o financiamento para a compra de casa continua a aumentar. Em 2019, os bancos disponibilizaram 10,6 bilhões de euros em empréstimos para esse fim.

Veja Também